6 de nov de 2010

Railing - Configurações para representar uma GRADE

Eu já comentei anteriormente que podemos usar o corrimão como grade, ou como um Brise-soleil ou tantas outras opções de acordo com a nossa imaginação.


Veja o exemplo desta grade.
Como podemos configurar o estilo de “Railing” para ficar desse jeito ?



 Duplique um estilo de railing pré-existente.



 
Em RAIL STRUCTURE, clique em EDIT.

Defina quatro elementos. Veja na figura abaixo como eu fiz.

  • NAME:      Você pode escolher o nome que quiser.
  • HEIGHT:   Qual a posição desse elemento, ou seja, qual o afastamento do “chão” ou do plano de referência que iremos usar.
  • OFFSET:    Considere que o desenho da seção (perfil) do corrimão está centralizado. Neste caso, o valor que definirmos aqui vai afastar o corrimão, para frente ou para trás. Podemos usar valores negativos também. Se o valor for ZERO, a peça ficará exatamente no centro (meio).
  • PROFILE:   É o desenho da seção (2D). O Perfil pode ter qualquer forma. Para criar, devemos começar usando um arquivo template para PROFILE.
  • MATERIAL:    Escolha qual o material para representar cada elemento.
Neste exemplo, estou considerando um plano de referência como base e a partir dele, vou definindo as alturas (height).
 

Agora vamos configurar os elementos verticais, chamados de “BALUSTER”.

São os apoios ou suportes, postes, balaustres, etc...

Esta parte é mais trabalhosa.
Clique no botão EDIT do parâmetro BALUSTER PLACEMENT.




Observe o desenho do corrimão, no início dessa postagem.


O segredo para fazer esta configuração é criar cada elemento até o ponto em que eles começam a se repetir.
Então, você vai criar 10 peças, com afastamento de 10 cm da anterior. Os demais elementos serão criados automaticamente conforme vamos aumentando o comprimento da grade.

  • NAME: Nome que você quer dar ao objeto. É livre. Você define.
  • BALUSTER FAMILY: É um arquivo, ou melhor, uma Família de BALUSTER que deve ser carregada para o projeto. Pode ser uma peça simples, ou com formas 3D bem detalhadas. Pode ser também um painel de vidro, ou uma grade. Temos total liberdade para criar o que desejarmos.
  • BASE: A base desse apoio, vai encostar em que ?    Em um dos “railings” ou no Host ?   Você escolhe.
  • BASE OFFSET: Depois de definir a referência da base, ainda podemos acertar o posicionamento, mais para cima ou para baixo.
  • TOP e TOP OFFSET: A mesma coisa que fazemos com a base, só que neste caso, com o Topo.
  • DIST. FROM PREVIOUS: A distância deste objeto em relação ao anterior. Você vai notar que neste exemplo estou usando sempre 10 cm de afastamento. Como o primeiro item também tem 10 cm, ele ficará afastado do ponto inicial.
  • OFFSET: Para afastar os objetos do eixo. Movendo para o lado interno ou externo. Veja a figura abaixo, que mostra um exemplo, em uma vista lateral, de Offset com 50 cm.


Existem outros itens que podemos mexer e obter resultados diferentes, mas vou finalizar falando do parâmetro JUSTIFY, que define o alinhamento destas peças, porque nem sempre teremos medidas exatas.

Com este parâmetro, você pode corrigir as diferenças, justificando pelo INÍCIO, FIM ou Centralizando.




Experimente fazer este Estilo de Grade (railing) e a partir dele, invente outros.

 


.

5 comentários:

Fabrício Ferreira disse...

Boa!!!!!! Anotado!!!!!!!! =)

Allan Mota disse...

Eu consigo fazer o mesmo com elementos vazios? Se eu quisesse fazer cobogós em uma parede, poderia usar o mesmo sistema?

Ricardo Cardial disse...

Sim. É uma opção também.

Igo disse...

Ricardo, há possibilidade de fazer um conjunto grade+pilar ou grade+ parede. Supondo a cada 500 cm de comprimento de grade há um pilar (que pode ser todo detalhado).
Tem algum material que ensine este procedimento?

Ricardo Cardial disse...

Sim. Dá para fazer intercalando, mas o elemento PAREDE não é inserido no corrimão. Tem duas opções: fazer as paredes com o espaçamento desejado, usando o comando WALL ou criar um objeto BALUSTER que seria parecido com uma parede e inserir na tabulação do railing. Mas sinceramente não acho válido, porque pensando em PROJETO, depois você vai precisar quantificar material e isso vai gerar confusão. A primeira opção é mais adequada, se estivermos falando de construir PAREDES mesmo, digo, na obra você vai fazer o que ? O pilar segue o mesmo raciocínio, mas a FAMÍLIA é BALUSTER. Abra uma família destas e veja como pode modelar á vontade e com vários detalhes.